Perfil

Minha foto
Assis sp, sp, Brazil
Artista plástico, Professor e grafiteiro, com formação na área de artes pelas Faculdades Integradas de Ourinhos, Como artista tenho aplicado muitos Workshop de arte urbana em faculdades e instituições, A expressão Arte Urbana ou street art refere-se a manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público, distinguindo-se das manifestações de caráter institucional ou empresarial, bem como do mero vandalismo. A princípio, um movimento underground, a street art foi gradativamente se constituindo como forma do fazer artístico, abrangendo várias modalidades de grafismos - algumas vezes muito ricos em detalhes, que vão do Grafite ao Estêncil, passando por stickers e cartazes lambe-lambe, também chamados poster-bombs -, intervenções, instalações, flash mob, entre outras. A rua não é de ninguém e mesmo assim fui preso cinco vezes por fazer Grafite, inevitável que as autoridades ainda acham que nos artistas somos vagabundos ou infratores de nosso Amado País. Infelizmente Vivemos em um Lindo País, que poucas pessoas têm acesso cultural, nome deste País se chama Brasil Contatos: cel(18) 97480060 Email:alemaoart@hotmail.com

online

contador de visitas

Seguidores

Páginas

sábado, 24 de dezembro de 2011

CONCEITO DA COLEÇÃO

Reações: 










A coleção verão 2012 Cherry Pop vem com forte apelo surrealista com contribuição das obras de Salvador Dalí nas estampas que serão feitas em grafite. A estética de desconstrução do surrealismo se fará presente nas estampas, uma característica forte no universo do grafite, que busca a liberdade surreal da criação através do inconsciente, como afirma Freud. Loja de Doces vem para contribuir com a cartela de cores e adocicar o impacto surrealista e a agressividade do grafite na coleção.
Assim a coleção ganha o nome de “Cherry Bomb”, uma mistura de um comportamento doce e bombástico. Angelical e agressivo. Onde os opostos se atraem. No final deste trabalho serão anexadas as 60 gerações de alternativa para a coleção.

Cherry Pop

Estilista :Natalia Piovezani Me

designer Anderson lemes (Alemão)

Fotografia :Anderson Lemes (Alemão)

modelo: Anelisa Succi

terça-feira, 29 de novembro de 2011

sábado, 8 de outubro de 2011

bomber

Reações: 



Cruzália SP
esse tanque me chamou não tive culpa rsr

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Jim Carrey grafita o portão da própria casa em Nova York

Reações: 

O ator Jim Carrey, 49, foi flagrado grafitando no portão da garagem de sua casa em Nova York.

Ele fez um desenho usando um "stencil" (espécie de molde) e ainda escreveu a sigla FFC, que permanece um mistério.

Aparentemente, a inscrição não tem a ver com a declaração de amor que Jim Carrey fez para a atriz Emma Stone, 22, em um vídeo na internet.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Depois das vacas, rinocerontes coloridos tomarão as ruas de SP Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/sp/mat/2011/09/04/depo

Reações: 










SÃO PAULO - Depois das vacas, os rinocerontes passarão uma temporada nas ruas de São Paulo e em outras 11 cidades brasileiras. Trata-se da Rino Mania, exposição a céu aberto que quase transformará as ruas da cidade em uma savana tropical. Os enormes mamíferos estarão não em sua forma natural, mas de um jeito bem mais colorido, simpático e pacífico que seus "irmãos" das florestas da África e da Ásia. São 75 espécimes moldados em fibra de vidro e customizados por igual número de artistas plásticos, com técnicas que incluem pintura, desenho, colagem, escultura e até jardinagem.
A manada toda poderá ser contemplada, de uma só vez, no Mube, em uma exposição marcada entre 14 e 19 de setembro. No dia seguinte, e até 20 de outubro, 60 deles serão colocados nas principais ruas, avenidas e praças paulistanas, enquanto outros 15 partem em uma exposição itinerante por 11 cidades brasileiras - Agudos, Lençóis Paulista, Itapetininga, Botucatu e Jundiaí, no interior de São Paulo, Taquari e São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, Uberaba e Estrela do Sul, em Minas Gerais, Cabo de Santo Agostinho (PE) e João Pessoa (PB).
Também faz parte da iniciativa um grande projeto, envolvendo essas mesmas cidades, que trabalhará com educação artística e ambiental com crianças entre 7 e 10 anos de escolas públicas municipais. Como parte da tarefa, os artistas mirins vão decorar 220 esculturas de filhotes de rinocerontes que, depois de integrar uma grande exposição nessas localidades, serão "adotadas" em definitivo pelas escolas onde nasceram.
O projeto inspira-se na Rhino Mania desenvolvida na cidade de Chester, na Inglaterra, pela Wild in art, entidade que trabalha na disseminação da arte em ambientes educacionais.
Nenhuma restrição criativa é feita aos artistas, apenas que dêem asas à imaginação. Foi o que fez, por exemplo, Loro Verz, com seu Rinocentro, em que, com grafismos de formas redondas, reproduziu o que via quando morava no centro de de São Paulo, com sua boates, bares e movimentação fernética.
- Levei 15 horas pra conceber meu rinoceronte, trabalhando compulsivamente, sem planejar nada, como faço com meus outros tipos de pintura - conta ele, passando depois a painéis, murais e outros tipos de superfícies como muros e objetos e outros .


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/sp/mat/2011/09/04/depois-das-vacas-rinocerontes-coloridos-tomarao-as-ruas-de-sp-925284091.asp#ixzz1XPbbzkjm
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

sábado, 3 de setembro de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Prefeitura de São Paulo decide liberar grafites patrocinados

Reações: 



A Prefeitura de São Paulo decidiu liberar para grafiteiros e muralistas as laterais de edifícios paulistanos que, antes da Lei Cidade Limpa, de 2007, abrigavam anúncios publicitários gigantes.

A informação é da reportagem de Vanessa Correa publicada na edição desta quarta-feira da Folha. A reportagem completa está disponível para assinantes do jornal e do UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

De acordo com o texto, a empresa que pagar por uma obra poderá ter a marca exposta de forma discreta no prédio. O painel poderá ainda fazer menção indireta ao produto do patrocinador, mas não pode ser o tema da obra.

O projeto-piloto foi feito com um grafite de Osgemeos em um edifício do vale do Anhangabaú, no centro. Artistas dizem que um mural de grandes dimensões custa de R$ 20 mil a R$ 70 mil em tintas e equipamentos.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Artista francês espalha seus "invasores do espaço" pelos muros de São Paulo.

Reações: 










Desde a semana passada, os muros de São Paulo têm sido "invadidos" por trabalhos do artista de rua Invader. São cerca de 50 pequenos mosaicos coloridos feitos de azulejos ou pastilhas, localizados em vias de grande movimento da cidade, como a Teodoro Sampaio, Consolação, Paulista e Augusta.O artista francês de 42 anos, que não revela seu nome verdadeiro, esteve no Brasil a convite da galeria Choque Cultural. Os trabalhos colados pela cidade são parte da exposição "De Dentro e de Fora", que abre no Masp no dia 17 de agosto, e que reúne artistas estrangeiros de arte de rua -- uma 'continuação' da mostra "De Dentro para Fora / De Fora para Dentro", promovida pelo museu entre 2009 e 2010, apenas com artistas de rua brasileiros.

LEIA MAIS
É a minha missão poética, diz Invader sobre intervenções em SP
Invader empresta seu nome e o estilo de seus mosaicos do game eletrônico "Space Invaders". Suas imagens -- naves e monstrinhos alienígenas -- fazem lembrar os ícones estilizados, em linhas simples, do jogo dos anos 80.

Mais de 50 cidades no mundo já receberam suas "invasões", mais da metade delas na França, seu país natal. Seus trabalhos costumam ficar em esquinas e locais de grande tráfego, geralmente, a uns 2,5 metros de altura, o que obriga as pessoas a erguerem a cabeça para olhar, ao passar pela rua (e o que dificulta sua remoção).

Uma de suas intervenções mais conhecidas -- e de mais difícil acesso -- está no célebre letreiro de Hollywood (há um vídeo na Internet que documenta a façanha), em que Invader colou mosaicos em oito das nove letras.

Em setembro, será lançado um mapa com as intervenções de artista em São Paulo. Abaixo, uma relação dos trabalhos de Invader que o UOL descobriu pela cidade.


fonte

sábado, 30 de julho de 2011

O VIOLINISTA

Reações: 




O filme violinista
O violinista que veio do mar é um encantador e sensível filme romântico sobre o tempo e o momento amor.
Podemos notar que no decorrer do filme, é sempre enfatizada a presença do mar, não só pela cor azul forte nos dias de sol, mas até mesmo na tempestade, e nos dias em que a água está transparente. A maioria das cenas é apresentada nele: é onde as senhoras acham o violinista, é onde os pescadores vendem seus peixes e também é a fonte de inspiração para a dama que pinta quadros. Ele é também, 'o lugar' de onde veio o violinista; E até ai é só o que se sabe dele: que 'ele veio do mar'.
Outro fator que podemos observar ao olhar o filme, é a dedicação das senhoras com o violinista. Elas cuidam dele com responsabilidade e amor, sem ao menos o conhecerem, e principalmente, sem saber a língua que ele fala. O amor e a dedicação apresentam-se também quando elas o ensinam seu idioma, para que possam se comunicar.
As irmãns também mostram-se bastante diferentes uma da outra no decorrer do filme. Enquanto uma é muito dedicada e apaixonada pelo violinista, a outra é amargurada e um pouco desconfiada. As duas têm medo de perder o violinista de suas vidas, por isso ficam com ciúmes em determinadas ocasiões.
O filme pretende mostrar a mistura de três artes: a musica do violino, a pintura, e a emoção. Da para se notar isso em determinadas cenas, como na apresentação dos personagens em que a câmera da uma 'congelada' na imagem, isso também pode ser notado na cena em que o violinista encosta-se nas pernas da senhora, com a cabeça, e ela coloca a mão no cabelo dele.
Uma das cenas mais criativas do filme acontece quando uma das senhoras que acolheram ao desconhecido violinista, tenta lhe ensinar um pouco de seu idioma. Ela cola nos objetos presentes no quarto do hóspede, papéis com o nome dos próprios objetos. Em seguida, ela lê para ele o nome de cada um, escrito no papel (para assimilação entre palavra e objeto).
O filme mostra cores vibrantes, arte e pintura, música de diversos tipos e principalmente violino; apresenta o modo de vida da década de 30, onde os modos de viver e a cultura eram diferentes dos dias de hoje. Enfatiza o amor, a dedicação. Mostra um pouco de suspense entre o violinista e a pintora, e o drama das senhoras. Com isso, posso concluir que o filme engloba muitos fatos e aprendizados.