Perfil

Minha foto
Assis sp, sp, Brazil
Artista plástico, Professor e grafiteiro, com formação na área de artes pelas Faculdades Integradas de Ourinhos, Como artista tenho aplicado muitos Workshop de arte urbana em faculdades e instituições, A expressão Arte Urbana ou street art refere-se a manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público, distinguindo-se das manifestações de caráter institucional ou empresarial, bem como do mero vandalismo. A princípio, um movimento underground, a street art foi gradativamente se constituindo como forma do fazer artístico, abrangendo várias modalidades de grafismos - algumas vezes muito ricos em detalhes, que vão do Grafite ao Estêncil, passando por stickers e cartazes lambe-lambe, também chamados poster-bombs -, intervenções, instalações, flash mob, entre outras. A rua não é de ninguém e mesmo assim fui preso cinco vezes por fazer Grafite, inevitável que as autoridades ainda acham que nos artistas somos vagabundos ou infratores de nosso Amado País. Infelizmente Vivemos em um Lindo País, que poucas pessoas têm acesso cultural, nome deste País se chama Brasil Contatos: cel(18) 97480060 Email:alemaoart@hotmail.com

online

contador de visitas

Seguidores

Páginas

terça-feira, 11 de maio de 2010

Terry Rodgers e o hiper-realismo da solidão

Reações: 

Algumas figuras presentes nas imagens correspondem aos cânones ocidentais de beleza, enquanto outros desafiam essas mesmas convenções. Pode perceber-se, através destas imagens, que a alma não se encontra no envelope físico exterior”, explica Terry Rodgers acerca de “Boundaries of desire” (“Fronteiras do desejo”), a primeira exposição em nome próprio que apresentou na Europa, em 2009.

O desejo encontra-se em permanente tensão com o estado de solidão das personagens envolvidas. Num primeiro olhar, algumas das obras de Terry Rodgers – como é o caso de “Alternative Fictions” e “The Fluid Matrix of Bounded Latitudes” – podem ser erradamente interpretadas como banais manifestações de erotismo. Mas nenhuma das figuras retratadas se encontra realmente alinhada; não há olhares cruzados, não há sequer um contacto físico. Cada uma está isolada no seu próprio mundo, tentando encontrar um ponto de referência na realidade, um equilíbrio no seu desejo de se conectar ao exterior.

Embora o recurso à pintura a óleo em tela seja o mais frequente, Terry Rodgers dedica-se também à fotografia a preto e branco e um dos seus mais recentes trabalhos (“The Deposition”) é uma foto-composição num tríptico em caixa de luz.



Mais em: http://obviousmag.org/archives/2010/05/terry_rodgers_e_o_hiper-realismo_da_solidao.html#ixzz0nfxLHT2z

Nenhum comentário:

Postar um comentário