Perfil

Minha foto
Assis sp, sp, Brazil
Artista plástico, Professor e grafiteiro, com formação na área de artes pelas Faculdades Integradas de Ourinhos, Como artista tenho aplicado muitos Workshop de arte urbana em faculdades e instituições, A expressão Arte Urbana ou street art refere-se a manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público, distinguindo-se das manifestações de caráter institucional ou empresarial, bem como do mero vandalismo. A princípio, um movimento underground, a street art foi gradativamente se constituindo como forma do fazer artístico, abrangendo várias modalidades de grafismos - algumas vezes muito ricos em detalhes, que vão do Grafite ao Estêncil, passando por stickers e cartazes lambe-lambe, também chamados poster-bombs -, intervenções, instalações, flash mob, entre outras. A rua não é de ninguém e mesmo assim fui preso cinco vezes por fazer Grafite, inevitável que as autoridades ainda acham que nos artistas somos vagabundos ou infratores de nosso Amado País. Infelizmente Vivemos em um Lindo País, que poucas pessoas têm acesso cultural, nome deste País se chama Brasil Contatos: cel(18) 97480060 Email:alemaoart@hotmail.com

online

contador de visitas

Seguidores

Páginas

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Walt Disney vai para guerra

Reações: 






Walt Disney era um patriota, democrata e anti-comunista. Durante a Segunda Guerra Mundial estabeleceu parcerias com o governo norte-americano e estendeu a sua influência às tropas, que usavam orgulhosamente desenhos dos seus estúdios no material de guerra. Além de colaborar com o FBI e ser responsável por filmes de propaganda, foi em parte responsável pela moda "nose art" durante os anos da guerra.


Em 1942, o lugar-tenente Caldwell, do escritório das Operações Navais de Washington, enviou uma carta a Walt Disney em Hollywood para pedir um pequeno emblema para os novos aviões da armada americana. Estávamos em plena Segunda Guerra Mundial e o responsável por desenhos como Rato Mickey e Pato Donald não demorou mais do que alguns dias a enviar um desenho com um mosquito em cima de um torpedo a aproximar-se rapidamente da água. Os militares americanos gostaram tanto do trabalho de Disney que rapidamente este selo foi colocado em todos os aviões-torpedo. Este episódio não foi a primeira ligação dos desenhos de Disney à guerra: em 1939, o famoso desenhista já tinha feito um novo design para o logótipo militar americano e esse foi o início de uma longa e frutífera parceria.

A moda gerada pelo desenho do mosquito extravazou os torpedos e os EUA: rapidamente, todas as tropas aliadas quiseram dar um toque especial aos veículos de guerra. Tal como as antigas insígnias dos cavaleiros medievais funcionavam como uma forma de identidade, as tropas aliadas (especialmente americanas) pediam que as suas frotas fossem personalizadas pelos estúdios da Disney - o que funcionava tanto como motivação para os soldados, como propaganda aliada. É de notar que, além desta colaboração, Disney trabalhou para o FBI e produziu filmes de propaganda militar, nos quais utilizava as suas personagens mais conhecidas. Ao todo, completou mais de 1200 desenhos para os militares americanos e chegou a ter cinco desenhadores dedicados exclusivamente a este trabalho entre 1939 e 1945.

Esta ligação de Disney às tropas americanas impulsionou, muito provavelmente, a "nose art" que integra todos os desenhos e assinaturas que os militares pintavam nos seus veículos (quer sejam terrestres, aéreos ou marítimos). O nome advém do facto de os tripulantes pintarem o "nariz" dos seus aviões na Primeira Guerra Mundial, mas foi na Segunda Guerra Mundial que estas pinturas se tornaram um hábito comum, o que muito se deve à influência de Disney. Os tripulantes mais dotados aprenderam a copiar os desenhos do artista, incluindo mensagens com humor ou patrióticas.

Patriota e indubitavelmente defensor dos valores americanos, Disney foi um apoiante fervoroso das tropas americanas. Ajudou a criar a "Aliança do Cinema para a Preservação dos Ideais Estadunidenses" (organização anti-comunista) e prestou vários depoimentos na "Comissão das Actividades Antiamericanas". Depois do final da Segunda Guerra Mundial, o governo soviético proibiu a exibição dos seus filmes no país.

fonte

Mais em: http://obviousmag.org/archives/2010/11/desenhos_animados_foram_a_guerra.html#ixzz16tzzoJtl

Nenhum comentário:

Postar um comentário